26 de fevereiro de 2015

quinta-feira, fevereiro 26, 2015

Mais uma vez aquela canção




Mais uma vez , estou aqui esperando você me dizer aquilo que eu já não acredito mais.
É tão triste não confiar em você . 
Você não sabe como me dói dizer isso.
Mais uma vez , estou aqui olhando nos teus olhos deixando meu silêncio te cegar e pedindo para meu olhar não te dizer o quanto o que sinto por você, ainda é forte.

Querido é tão ruim ter que fingir para você que eu também estou te usando, que eu sei separar prazer de amor, alegria de ilusão...

Mais uma vez eu falo aquilo que você não cansa de esquecer, tudo aquilo que justifica o porque, já não temos sonhos juntos e o porquê nossos caminhos estão sempre contrários, das minhas fugas, dos meus nãos, da minha solidão.

É tão ruim sentir seus braços e não poder contar com eles quando tenho pesadelos, quando lembro do nosso passado, quando me sinto pra baixo.

Mais uma vez você me pergunta e pede para dizer,  "não sinto nada por você".
Você me tortura. E eu sei que isso alimenta seu ego, mas diminui o meu. Eu tento me encontrar nessa história, e não me encontro quando olho no espelho, enquanto a gente conversa. Não sei.

Mais uma vez eu digo, eu amo você, sempre amei e acho que nunca mais vou querer amar assim. Você não sabe como me dói saber isso. Mas dói mais saber que quando digo isso, você ouve ópera sorrindo, se deliciando com o poder que eu te dei.

Mais uma vez te deixo livre para ir, me deixo livre para te esquecer, de novo aos poucos. Minha decisão está forte, como a minha dor.

Mais uma vez eu choro sozinha olhando sua foto e ouvindo aquela canção que você me enviou como quem não sabe, mas quis dizer exatamente o que ela disse a mim.

Mais uma vez eu digo adeus para meu coração, que ficou com você.
E você mais uma vez, o deixa caído pelo chão.

Mais uma vez, ouço "hasta que tú decidas regresar".


Você  não merece meu retorno, eu sei. Eu sei que vai esperar.
Volto para pegar meu coração, mas só volto quando não precisar dele mais.


Si Caetano - A Lagarta

Dois mil e senta que lá vem história.



19 de fevereiro de 2015

quinta-feira, fevereiro 19, 2015

Corações de mãos dadas




A intimidade do casal é exposta ao dar as mãos em público. É muito mais erótico que um beijo. 
Dar as mãos vai além de entrelaçar dedos, é trocar calor. É sentir a pulsação do outro, que naquele momento intencionalmente, se aproximou de você. Quando amamos, dar as mãos traz para o visível uma disposição mental, uma decisão que existe no invisível. É uma sensação de prazer inegociável, darmos as mãos à aquela pessoa que nos habita por inteiro. Pensamentos intenções, atos e negações. Um casal que não da as mãos, provavelmente não está de mãos dadas no amor. 


Eu, não percebia nada disso, antes das minhas mãos encostarem as mãos dele. Hoje, eu estou contando os dias para voltar a dar as mãos fisicamente. Porque no mais, nossas mãos nunca se soltaram. Nem a 2.000 quilômetros de distância. 


Si Caetano - A Lagarta 


11 de fevereiro de 2015

quarta-feira, fevereiro 11, 2015

Minha música é sua


Único como o som

Harmonioso como melodia

Tocante como a música.


Eu te amo, sem desafino.
Embora eu desafine, tanto.
Meu amor, não.
Ele é minha melhor composição
É a razão do meu sorriso, sem pretensão.
Dos meus passos soltos, flutuantes, sem chão.
Anote aí, dentro do seu coração.

Quero voar com você
nesta nossa canção. 
Que toca fundo
E desmonta toda contradição.

Vem e corta ao meio a solidão.
Está é a nossa canção.
Não desligue o som
Deixa tocar...
Não quero pousar, 
vou fazer ninhos no ar.
Perder no tempo, a noção da hora.

Minha alma já fez a viagem.
Só falta você vir.
Não traga bagagem.
Não precisaremos de nada
Temos tudo aqui.

Si Caetano - A Lagarta

Créditos das Imagens

Todas as imagens ou conteúdos de terceiros que são utilizadas nas postagens deste blog, estão devidamente informadas do crédito ou da fonte de onde elas foram capturadas. Caso o autor queira que a imagem ou conteúdo seja retirado, basta entrar em contato no e-mail contato@diariodeumalagarta.

Direitos Autorais

Todo o conteúdo do Diário de uma Lagarta está protegido sob as leis de direitos autorais brasileiras. Portanto, é expressamente proibido a reprodução de qualquer conteúdo autoral em texto, imagem, áudio ou vídeo sem o consentimento da autora deste espaço. O mesmo equivale para o título do blog ou para qualquer elemento da atual identidade visual e gráfica. Caso haja uma violação de respeito ao direito autoral e intelectual, o autor desta infração sofrerá todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis, tendo como base a legislação brasileira vigente.

Cadastre-se